Em matéria do que se chamou "Acordo Ortográfico", sou contra. Absolutamente contra. Nem morto de morte matada ou morrida.



Ficaram-me os olhos

«Ficaram-me os olhos» escrevi há pouco, uma daquelas frases que se usam sem pensar porquê, talvez porque vindas da infância doméstica ou da escola onde nos ensinam a ler, ou do liceu quando nos estimulam a não desistirmos de ler. Em alguma boca, em alguma página a vi que são ditos que não se adivinham. Não é em rigor a expressão castelhana "se le iban los ojos", embora com ela comungue um pouco a ideia. Na nossa, os olhos ficam como se presos a algo que, desejado, deixámos para trás, ao não o termos, querendo-o, na dos nossos vizinhos há um irem eles naquilo que, apetecido, foi seguindo o seu caminho, deixando-nos. É a diferença entre o inalcançado e o inalcançável. Assim se compreende a saudade portuguesa, anseio de casa, desejo de colo.